Apresentada 54.ª edição do Festival Internacional de Música de Sintra

A Câmara Municipal de Sintra apresentou publicamente esta quinta-feira (18 Julho), no Palácio de Queluz, a 54.ª edição do Festival Internacional de Música de Sintra, que vai decorrer entre 6 de Setembro e 1 de Outubro, sob o lema ‘Da Corte às Ruas’, com concertos em vários locais do concelho.

Com a participação de orquestras, coros e artistas a solo, o festival tem como palcos o Centro Cultural Olga Cadaval, o Palácio Nacional de Sintra, o Palácio Nacional de Queluz, a Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia de Belas, a Igreja de Nossa Senhora da Purificação (Montelavar) e a Sociedade Filarmónica União Assaforense.

Esta edição do evento, organizado pela autarquia sintrense com o apoio da empresa Parques de Sintra-Monte da Lua, volta a apostar numa programação variada e promete ser a celebração da influência entre o velho mundo e o clássico e as sucessivas novas práticas sociais que acompanharam as mudanças para a modernidade.

O destaque do festival deste ano será o espetáculo ‘Summer Sunday’, dedicado ao tema da Defesa do Ambiente e do bem-estar do meio rural. Mário Laginha e o seu Trio abrem a primeira parte do concerto, que conta ainda com a participação do Coro Allegro (Sintra) e do coro infantil Voci (Sintra) e dos solistas Joana Seara (soprano), Marco Alves dos Santos (tenor) e Hugo Oliveira (barítono). 

Esta Pastoral cómica-trágica-ecológica, da autoria de Joseph Horovitz e dirigida a todas as idades, será apresentada no Centro Cultural Olga Cadaval, no dia 28 de Setembro, com concepção vídeo de Miguel Matos, encenação de Carlos Antunes e direcção de Manuel Líbano Monteiro.

Gabriela Canavilhas, directora artística do Festival, destaca que “o programa deste ano é uma continuação do ano passado no sentido estratégico, de levar o festival para outros espaços menos tradicionais”. “Este ano damos continuidade a essa estratégia e alongamo-la, no sentido que a música pertence a todos, não só às elites, a música vai da corte para as ruas”, destaca. 

Durante a apresentação do festival, Basílio Horta, presidente da Câmara Municipal de Sintra, assinalou que o mesmo “podia ser apresentado em qualquer parte do Mundo, pela enorme qualidade que tem”, sublinhando que “a estratégia que comanda o festival, que vai da corte às ruas, tem a mesma qualidade ou superior do que se ficássemos apenas pelas cortes”. 

Pode ficar a saber mais sobre o Festival e a sua programação aqui

Deixar um comentário