Passeio ao longo do Rio Jamor marca primeira fase do EVA em Oeiras

O lançamento da primera fase do Eixo Verde e Azul (EVA) em Oeiras teve lugar junto à ponte sobre o Rio Jamor, na Cruz Quebrada, no dia 27 de Fevereiro, com a presença do presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais. 

Esta primeira fase vai fazer a reabilitação do Rio Jamor e das suas margens, criando um percurso pedonal e ciclável, ao longo de três quilómetros, entre a Cruz Quebrada e o Santuário de Nossa Senhora da Rocha, em Carnaxide, permitindo, este percurso, a ligação com o Passeio Marítimo de Oeiras.

Na cerimónia de descerramento da placa que assinala esta primeira fase, o presidente da Câmara, disse ser este o “pontapé de saída” de uma intervenção que tem como objetivo criar condições de fruição através de zonas pedonais e cicláveis, ao longo do leito das ribeiras, do Concelho, nomeadamente da Ribeira de Algés, do Rio Jamor, da Ribeira de Barcarena e da Ribeira da Lage.

Esta intervenção que agora se iniciou, está integrada no Eixo Verde Azul e pretende criar ao longo do Rio Jamor, numa extensão de 16 quilómetros, de Oeiras ao Concelho de Sintra, um passeio que convida a apreciar a natureza, considerando, Isaltino Morais, que talvez sejam, os sete quilómetros do leito deste rio, ao longo do Concelho de Oeiras, os mais bonitos, nomeadamente entre a Quinta da Gandarela e Queluz de Baixo.

Foi em 2016 que surgiu a oportunidade de construir, em articulação com outros municípios, um grande percurso ao longo desta linha de água, prolongando-se desde a sua nascente até à foz, tendo os municípios de Sintra, Oeiras e Amadora e a Parques de Sintra Monte da Lua, assinado um protocolo para a criação do EVA, Eixo Verde e Azul, que visa requalificar o Rio Jamor e a área circundante do Palácio Nacional de Queluz, de forma a valorizar ambiental, social e economicamente toda a região.

As obras desta primeira fase foram adjudicadas à empresa UniKonstrói, têm um prazo de execução de 210 dias e um investimento de cerca de um milhão de euros.

Autor: Alexandre Gonçalves

Deixar um comentário