Faleceu empresária que construiu Autódromo

Fernanda Pires da Silva, presidente do grupo Grão-Pará, faleceu no passado dia 11 de Janeiro, aos 93 anos de idade. O velório da empresária responsável pela construção do Autódromo do Estoril teve lugar na Basílica da Estrela, em Lisboa, sendo que o enterro foi realizado dia 13 no cemitério da Guia, em Cascais.

Como reconhecimento pelo empreendedorismo de ter conseguido construir com capitais próprios o Autódromo do Estoril no início dos anos 1970, Fernanda Pires da Silva foi homenageada durante a presidência de Jorge Sampaio, com a Ordem Civil do Mérito Agrícola e Industrial.

Esta não foi a única condecoração recebida pela empresária que ficou ligadaao sector imobiliário e do turismo, bem como ao desporto automóvel português. Em 1989 foi também condecorada como Grande-Oficial da Ordem do Mérito, sendo que em 2000 essa distinção foi elevada a Grã-Cruz da mesma Ordem.

Fernanda Pires da Silva nasceu em Lisboa a 27 de Agosto de 1926. Após a revolução de 25 de Abril de 1974, saiu de Portugal para ir viver para o Brasil, país de onde regressou no final da década de 1970, quando o grupo Grão-Pará, que entretanto tinha sido nacionalizado, lhe foi restituído.

A empresária foi casada com Abel de Moura Pinheiro, com quem teve um filho, Abel Saturnino da Silva de Moura Pinheiro, também empresário e antigo dirigente do CDS, que chegou a ser presidente executivo da Grão-Pará. Fruto de um segundo casamento com Alberto Teotónio Pereira, nasceu João Paulo Teotónio Pereira.

AUTÓDROMO INAUGURADO EM 1972

Inaugurado a 17 de Junho de 1972, o Autódromo Fernanda Pires da Silva chegou a receber provas do Mundial de Fórmula 1 entre 1984 e 1996. O circuito inicial ficou a dever-se à iniciativa da empresária, tendo sido concebido com base num projecto assinado pelo arquitecto brasileiro Ayrton Lolô Cornelsen.

Autor: Redacção

Deixar um comentário