Festa da Música leva magia a monumentos de Sintra

A luz de Maio e o chilrear constante das aves revelam que a Primavera atingiu o seu auge. Neste mês, a Festa da Música também invade os monumentos de Sintra e todos poderão partilhar dessa magia, desde os bebés até aos adultos. Aproveitando este mote, todos são convidados a descobrir mundos maravilhosos, povoados de mitos e de seres imaginários, que extravasam as paredes dos palácios e se prolongam pelos espaços exteriores.

O primeiro programa proposto decorre de 4 a 25 de Maio no Palácio Nacional de Sintra, que volta a receber o ciclo “Reencontros – Memórias Musicais no Palácio de Sintra”. Este ano, o evento acontece mais cedo, em pleno esplendor primaveril. Ao longo dos quatro sábados do mês, sempre às 21h30, na Sala dos Cisnes, voltam a ecoar as sonoridades que marcaram a Idade Média e o Renascimento.

A música é o ponto de partida para revisitar a cultura mediterrânica destas épocas, numa irresistível viagem no tempo que percorre quatro concertos: “Giovanni e Andrea Gabrieli – música veneziana do séc. XVI”, “Clément Janequin e seus contemporâneos – polifonia do séc. XVI”, “Claudio Monteverdi e Sigismondo d’India” e “De Apúlia a Nápoles – temas tradicionais do séc. XVI”.

Nesta 5ª edição, marcam presença o Ensemble La Fenice (direção de Jean Tubéry), o Ensemble Clément Janequin (direção de Dominique Visse), o Ensemble Arte Musica (direção de Francisco Cera) e o tenor Marco Beasley que, com alguns dos mais talentosos artistas dedicados à música antiga, fecha o ciclo.

Para que os mais pequeninos também possam vibrar ao som da música, a 19 de Maio, domingo, às 10h30, no Paláciode Monserrate, realiza-se o concerto para bebés “Um Dia na Floresta”, que recria o ambiente festivo da Natureza, recorrendo a peças musicais clássicas com arranjos concebidos a pensar nos bebés. Através de histórias cantadas, de ritmos contagiantes e de jogos de rimas, gera-se um momento envolvente que evoca a extraordinária aventura da vida na floresta e das personagens que a preenchem, tais como o cuco que assobia, a formiga corredora ou o lagarto pintado.

No dia 25 de Maio, sábado, às 10h30, nos Jardins do Palácio Nacional de Queluz, dá-se a conhecer “Eufrósina”, que, segundo a mitologia grega, era uma das Cárites, também conhecidas como deusas das Graças. Sendo filhas de Zeus, as três irmãs Eufrósina, Aglaia e Tália simbolizam, desde o Renasci- mento, a harmonia do mundo clássico, devido à sua beleza e às suas virtudes. Este trio feminino inspira um ciclo de visitas que se materializa em percursos distintos.

O primeiro, dedicado a Eufrósina, decorre nos Jardins do Palácio de Queluz, onde a estatuária desvenda mitos esculpidos em bronze e mármore. No dia seguinte, a 26 de Maio, às 10h30, no Parque de Monserrate, procura-se “O Caminho das Fadas”. Percorrendo este cenário mágico, pais e filhos vão seguir suaves melodias e buscar os seres que habitam as florestas. No caminho, deparam-se com um sítio intrigante, que desperta a imaginação. Nesta atividade imersiva, que estimula o contacto com a Natureza, as surpresas estão garantidas.

Autor: Redacção

Deixar um comentário