Carnaval no Palácio Marquês de Pombal

O Município de Oeiras ofereceu aos munícipes um Carnaval diferente, durante três dias, com início no dia um de Março, fazendo uma recreação do ambiente palaciano do século XVIII, com diversas iniciativas no Palácio do Marquês de Pombal e seus jardins.

Durante estes dias não faltou a Música, Oficinas de Artes Plásticas, Teatro, com personagens da Commedia dell’arte, Marionetas, Masterclasses, fogo-de-artifício, e também um Salão de Chá, a funcionar na Sala de Jantar do Palácio, dinamizado por pastelarias locais.

Nestes dias realizou-se também um Baile de Máscaras, ao estilo do século XVIII, que decorreu numa tenda montada no jardim da Cascata dos Poetas. Este baile proporcionou uma reconstituição coreográfica através dos Tratados de Dança da Época, feita pela Academia de Dança Antiga de Lisboa, em que toda a ação foi conduzida pelo Mestre-de-cerimónias. 

O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, em declarações ao Correio da Linha, explicou que sendo hoje o Carnaval muito abrasileirado, muitas vezes não estando adequado ao nosso clima, surgiu a ideia de recrear um ambiente de Carnaval do século XVIII, aproveitando as instalações do Palácio Marquês de Pombal, permitindo a fantasia com trajes da época e com Baile de Mascaras, para proporcionar um convívio entre as pessoas.

Ainda segundo o presidente da Câmara, cada município tenta encontrar a sua identidade e neste tempo de descompressão que antecede a Quaresma, proporcionar momentos agradáveis aos cidadãos, face à identidade de Oeiras, que nasceu no século XVIII, pretendeu-se recrear um Carnaval da época. 

Este evento, que foi realizado pela Câmara de Oeiras em parceria com a ACECOA, teve entrada gratuita, mostrou uma forma diferente de viver o Carnaval e contou com a adesão de muitas centenas de pessoas, ao longo destes três dias.

Autor: Alexandre Gonçalves

Deixar um comentário