Rossio de Porto Salvo foi apresentado

O presidente da Câmara de Oeiras, Isaltino Morais, apresentou, no dia 26 de janeiro, o programa funcional para o futuro Rossio de Porto Salvo, na sede da Sociedade de Instrução Musical de Porto Salvo (SIMPS), cuja sala foi pequena para acolher a quantidade de pessoas que quiseram estar presentes nesta sessão. 

Este projeto para o centro de Porto Salvo prevê, a beneficiação e ampliação da sede da SIMPS, a instalação de um Centro de Saúde, que já está acordado com o Ministério da Saúde, um edifício onde será instalada a sede da Junta de Freguesia, comércio e serviços, uma zona de parque urbano, uma praça que permitirá a realização de atividades culturais e um parque de estacionamento coberto, com capacidade para 250 viaturas.

No início da sessão o presidente da Câmara disse ser uma satisfação ver que a população de Porto Salvo veio em grande número para participar, e referiu o facto de ao longo dos anos o Rossio de Porto Salvo ter vários estudos e vários projetos que não se concretizaram.

Este projeto que se insere numa estratégia mais vasta, que é a criação de praças em quatro localidades, nomeadamente na vila de Oeiras, ocupando a área onde funciona o parque de estacionamento da Santa Casa da Misericórdia, em Caxias no Largo Alves Redol, em Linda-a-Velha no antigo quartel e naturalmente em Porto Salvo, servindo estas praças de polos de atração destas localidades.

Segundo o presidente da Câmara, este projeto, que é uma das promessas eleitorais, depois desta apresentação terá o lançamento do concurso para o projeto de execução e quando este estiver pronto avança a obra. Não sendo uma obra em que seja feita uma estrutura de cada vez, mas sim todas em simultâneo, pensa o presidente da Câmara, que dentro de três a quatro anos será uma realidade, “de que os habitantes de Porto Salvo se vão orgulhar”. Esta intervenção, que orçará em cerca de 10 milhões de euros, será financiada na sua totalidade pela Câmara de Oeiras.

À construção desta praça está ligada também a preocupação com as acessibilidades e vias de comunicação, estando prevista a construção de novas vias, colocação de passeios em estradas que atualmente os não têm e criação de ciclovias, estratégia que é extensiva a todo o Concelho, estando, em alguns casos, já na fase de adjudicação de obra.

A vereadora Joana Batista, que tem o pelouro das obras, na sua intervenção nesta sessão, começou por agradecer à equipa técnica que desenvolveu este projeto, que segundo as suas palavras, alia a requalificação à preservação, uma vez que respeita o passado, as tradições e as memórias, como é o caso da SIMPS, que será ampliado e modernizado, mas manter-se-á na sua utilização tradicional, com serão preservados o coreto e o chafariz, embora devam ser deslocados da sua posição atual.

No que se refere a novas vias, está em fase de projeto de execução uma via que vai ligar a A5 à Ribeira da Lage e ao Lagoas Parque, vai ser continuada a via que foi interrompida e que pretende ligar o Lagoas Parque, passando pelo Complexo Desportivo, à rotunda do Mercado de Porto Salvo, essa via terá passeio e ciclovias. A estrada das Portelas vai ter passeios, uma das ciclovias que vão ser criadas liga a estação de Paço de Arcos à Quinta da Fonte, seguindo para a Rotunda das Oliveiras, Rotunda da Escola, Cacilhas e Lagoas, outra ciclovia vai ligar Vila Fria a Leceia. Em Leceia será demolido o mercado e dará lugar a uma rotunda, também a entrada no Concelho, em Talaíde, será melhorada e a estrada até Leião requalificada e colocados passeios. 

O presidente da Junta de Porto Salvo, Dinis Antunes, agradeceu a presença de tantas pessoas, considera que este projeto é um sonho que se está a tornar realidade e agradeceu ao presidente da Câmara e aos técnicos que o elaboraram o projeto.

Na intervenção do público, além dos apoios ao projeto, foram colocadas algumas preocupações, nomeadamente com a preservação do chafariz e do coreto, a necessidade de ser alargada a boca do palco do salão da SIMPS, também se o estacionamento automóvel terá custos para os utilizadores, sobre a forma como a Capela da Senhora de Porto Salvo se vai integrar neste projeto ou ainda, para quando o regresso do COMBUS.

Em resposta a estas questões, o presidente da Câmara esclareceu que o coreto e o chafariz, como já tinha sido referido, serão preservados na sua forma, mas terão que ser deslocados do lugar onde se encontram, no caso da boca de cena da SIMPS está previsto o seu alargamento, o parque de estacionamento terá que ser pago, será estudada uma solução que favoreça os moradores, mas na generalidade não será caro.

A capela de Nossa Senhor de Porto Salvo, que é classificada como Monumento de Interesse Público, terá a recuperação que for necessário para preservar esse património. No caso do COMBUS que já está em fase experimental em Algés, espera o presidente, que até ao fim do ano esteja a funcionar em todo o Concelho.

Nesta apresentação estiveram presentes o vice-presidente da Câmara de Oeiras, Francisco Gonçalves, a presidente da União de Freguesias de Oeiras, Paço de Arcos e Caxias, Madalena Castro e o presidente da União de Freguesias de Carnaxide e Queijas, Inigo Pereira. 

Autor: Redacção

Deixar um comentário