Um porto de abrigo para quem fez da rua a sua casa

A Casa Jubileu 2000, dirigida pelo Centro Comunitário da Paróquia de Carcavelos (CCPC), no concelho de Cascais, é um porto de refúgio para indivíduos em situação de sem-abrigo. Fundada em 2001, esta infraestrutura tem desenvolvido um papel importante no apoio dado a quem fez da rua a sua casa pelos mais variados motivos. Ali se presta auxílio a quem precisa de reencontrar o rumo da sua vida e recomeçar um projecto de vida, tantas vezes adiado por falta de condições e/ou de vontades.

Face à necessidade de retirar das ruas quem muitas vezes perdeu o desejo de o fazer voluntariamente, a Casa Jubileu 2000 abriu portas em 2001com base num projecto financiadopela Segurança Social e pela Câmara Municipal de Cascais, que assumiram as despesas de aquisição da casa, a realização de obras de adaptação e a compra de equipamento, para criar uma residência de passagem para pessoas em situação de exclusão social que desejem reorganizar a sua vida.

Para alcançar os objectivos que levaram à sua criação, este porto de abrigo tem desenvolvido parcerias com diferentes entidades e apostado em encontrar saídas viáveis para os indivíduos apoiados. Para definir estratégias de integração e de dignificação pessoal, são delineados projectos de vida adequados a cada um dos utentes, que dispõem deoficinas de trabalho e da possibilidade de adquirirem formação profissionalpara aquisição de competências que facilitem a empregabilidade.

A Casa Jubileu 2000 tem capacidade para albergar 12 pessoas, homens em situação de exclusão social com plena autonomia. Os candidatos podem autopropor-se ou ser encaminhados por alguém (presencialmente ou por via telefónica), mediante inscrição. Segue-se uma entrevista para avaliar se cumprem os critérios de admissão. À frente desta casa residencial de apoio aos sem-abrigo, está Mauro Estrela. O jornal ‘O Correio da Linha’ foi saber mais pormenores sobre este projecto de solidariedade social.

Foto: Paulo Rodrigues

CASOS DE SAÚDE MENTAL E DESEMPREGO ESTRUTURAL

Jornal ‘O Correio da Linha’ (CL) – O que levou o Centro Comunitário da Paróquia de Carcavelos a criar esta in- fraestrutura na freguesia?

Mauro Estrela (ME) – A casa Jubileu foi criada no seguimento do trabalho rea- lizado através do ‘Projecto Esperança de Recomeçar’ de apoio à população em situação de sem-abrigo, maioritariamente com saúde debilitada e semperfil de integração nas tradicionais comunidades terapêuticas.

CL – Como tem evoluído a situação dos sem-abrigo? Existem hoje mais indivíduos nesta condição de risco do que existiam na altura em que a Casa Jubileu abriu portas, em 2001?

ME – Para entender a evolução é importante entender as alterações do território. Em 2001, a população sem-abrigo era constituída essencialmente por toxicodependentes, tendo como principais zonas de consumo os bairros de barracas do concelho de Cascais. Ao longo dos anos foram surgindo alterações, maioritariamente ligadas a questões de saúde mental e desemprego estrutural.

CL – Quantos indivíduos apoia a Casa Jubileu 2000 actualmente?

ME – Apoia 12 indivíduos em Unidade Residencial, 18 em ambulatório no Centro de Atendimento e Acompanhamento Psicossocial (CAAP), cinco no Apartamento de Transição e mantemos ainda o acompanhamento aos restantes utentes que passaram pela casa, já em fase de reinserção.

Foto: Paulo Rodrigues

Clique aqui para ler esta entrevista na íntegra publicada na nossa edição em papel de Fevereiro

Autor: Luís Curado

Deixar um comentário