‘Um Mar de Estórias’ na Piscina Oceânica de Oeiras

‘Um Mar de Estórias – O Mundo em Presépios’ é o título da exposição organizada pela Oeiras Viva EM composta por 132 presépios provenientes da colecção de Maria Cavaco Silva. ‘O Correio da Linha’ falou com António Almeida, presidente do Conselho de Administração da Oeiras Viva EM, sobre esta exposição.

Correio da Linha (CL) – Como surgiu a ideia de fazer esta exposição?

António Almeida (AA) – Surgiu a partir do momento em que decidimos criar actividades na Piscina Oceânica fora da época balnear e uma das possibilidades foi a realização de exposições adaptando-se o espaço disponível para esse efeito. Nesse âmbito, a Oeiras Viva EM considera um privilégio receber em Oeiras e na Piscina Oceânica, pela primeira vez, parte do acervo da colecção privada de presépios da coleccionadora Maria Cavaco Silva, reunidos ao longo de mais de 50 anos, com muita afectividade.

CL – Porquê este título?

AA – Neste título, ‘Um Mar de Estórias – O Mundo em Presépios’, encontramos muita da afectividade desta colecção-exposição junto ao mar. Os visitantes terão oportunidade de contemplar uma extraordinária colecção de presépios que relatam as histórias de vários povos e regiões, muitos deles também com vínculo afectivo ao mar.

CL – O que esteve na base da organização do espaço expositivo?

AA – Materiais que já não estavam em uso na Piscina Oceânica, que foram reabilitados de forma a serem úteis no espaço expositivo. Entrar nesta exposição é entrar num espaço labiríntico que intercepta diferentes blocos brancos em que se convida, dentro desses blocos, os visitantes a mergulhar num mar de costumes e tradições quanto à arte presepista.

CL – A exposição tem também uma componente solidária, qual é o objectivo?

AA – Parte do dinheiro angariado nesta exposição destina-se a apoiar as necessidades do projecto ‘Famílias com Alma’, da Fundação Obra Social das Religiosas Dominicanas Irlandesas, cujo projecto tem várias áreas de intervenção como a distribuição de cabazes a famílias economicamente desfavorecidas e também apoiar essas famílias em termos de higiene e conforto, saúde e educação.

Autor: Redacção

Deixar um comentário